---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Economia

Publicado em 10/12/2013 às 16:21

Indústria Têxtil

A Indústria Têxtil Apiunense conta com cerca de 55 empresas e micro empresas do ramo têxtil, tendo como principal representante a Brandili Têxtil.

Um pouco da História da Malharia Brandili:

Em 1948, Carl Heinz Brandes chegou à cidade de Apiúna, em Santa Catarina, com a intenção de trabalhar e constituir sua família. Em 1954, ele e sua esposa, Lili Elza Bernardi Brandes, adquiriram uma casa de comércio. Dez anos depois, junto com mais três amigos, deram início às atividades da Malharia BRANDILI. No princípio, a empresa fazia conjuntos de batizado e blusas de algodão infantil. Em 1975, a fábrica têxtil mudou sua produção para a linha adulta.

Em 1990, a Brandili deu uma grande virada: começou a produzir roupas 100% algodão
através de uma mudança total dos teares, focando toda a produção no público infantil.

Hoje, a Brandili trabalha com coleções próprias e marcas licenciadas. A empresa tem um
amplo e moderno parque fabril com 18 mil m² que, até o final deste ano, terá uma expansão para 25 mil m². Também possui mais de 1,5 mil colaboradores entre funcionários e terceirizados. O consumo de malhas já atinge 300 toneladas mensais, o que produz cerca de 14 milhões de peças por ano. Toda a sua produção é voltada para o público infantil do Brasil, atendendo todo o território nacional.

Turismo

O Turismo é uma importante característica do território apiunense, visto que a cidade conta com centenas de belezas naturais, entre elas dezenas de cachoeiras, o rio Itajaí-Açú, que é um dos melhores pontos para a prática de rafting no Brasil e no mundo. E ainda demais modalidades de esportes radicais como o treeking, rapel e o downhill. Para completar, um domingo por mês acontece o passeio Histórico-Cultural da Maria Fumaça, no bairro da Subida. São cerca de 3,5 quilometros de belas paisagens, o percurso termina no pátio de manobras da Usina Hidrelétrica de Salto Pilão.

A Empresa Ativa Rafting é a maior representante do Turismo em Apiúna, responsável por levar os turistas aos mais belos lugares para a prática de esportes radicais. O Centro Ativa de Rafting está localizado no lugar mais bonito do Vale do Itajaí, no município de Apiúna, às margens da rodovia BR 470. Neste lugar, o Rio Itajaí-Açú forma um cânyon belíssimo, que serpenteia por entre montanhas cobertas de mata preservada, onde ainda é possível ver tucanos, jacus e aracuãs voando entre as árvores próximas a base. É um lugar fantástico e aconchegante, que encanta a todos.
O Centro Ativa de Rafting, que também é um Centro de Informações Turísticas,  oferece estrutura completa ao visitante, desde loja de souvenirs a um amplo espaço para estacionamento, vestiários separados e com chuveiros quentes, área de camping com toda a estrutura de banheiros e com quiosques equipados com churrasqueiras, área de lazer e muito, muito verde, para seu total conforto. Oferece também um restaurante, com serviço completo de bar e cozinha, onde é servida uma comida caseira deliciosa, posta sobre um fogão à lenha, onde também se têm várias opções para  lanches rápidos. 
Ligue para nós, marque um passeio e venha desfrutar de toda nossa estrutura e profissionalismo. Traga toda a sua família, oferecemos aventuras para todos os gostos. Passe um final de semana diferente, em contato direto com a Natureza.

Fonte: http://www.ativarafting.com.br/valedoitajai/

Agricultura

A fauna e a flora apiunense são bastante ricas e variadas. Das matas se extraem madeiras de lei, e outras que vão alimentar nossas indústrias. As lavouras produzem espécies variadas como, fumo, milho, feijão, uva,  tangerina,pepino conserva, cenoura, beterraba, repolho, couve-flor, etc. Reflorestamento comercial- eucalipto e pinus.

Criações:

Avicultura de corte - cerca de 25 granjas de frangos; 

Apicultura (80 toneladas de mel/ano);

Bovinos (corte e leite);

Suinocultura;

Agroindústria familiar;

Conservas (doces e salgados, sucos e geléias);

Paníficios;

Embutidos e suínos;

Queijos;

Cachaça.

Produção Tangerina

A tangerina, fruta proveniente da Ásia, também é conhecida como mexirica, bergamota ou mimosa, laranja-cravo, laranja-mimosa, mandarina e até vergamota, é rica em vitamina A e C sendo importante fonte de magnésio para ossos e músculos. 

Das diversas comunidades produtoras a que mais se destaca é a de Ribeirão Carvalho, onde há mais de 6 hectares de área plantada com tangerina. A Secretaria de Agricultura e a Epagri oferecem completo auxílio aos produtores, valorizando seu trabalho, orientando no plantio e subsidiando a implantação de pomares comerciais. Algumas famílias das localidades do município sobrevivem somente do plantio e venda de vinhos, geléias e outros produtos feitos com a polpa desta fruta.

Produção de Tangerinas chegará a 1.300 toneladas em 2011

Cerca de 900 toneladas de tangerina foram produzidas em 2010 em Apiúna, durante o ano de 2011, a EPAGRI - Empresa de pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, prevê um aumento entre 20% e 25% na produção total. Com a expectativa de chegar perto de 1.300 toneladas da fruta.
As tangerinas são vendidas em caixas, com 22 kg por caixa, em média, as caixas saem por um valor em torno de R$ 17,00. Mas, ao longo da rodovia BR 470, ela são vendidas em pencas, ao valor aproximado de R$ 5,00.
A EPAGRI divulga que 60 famílias apiunenses vivem da fruticultura, sendo que a ênfase é na fruta tangerina e, 20 famílias, tem a plantação e venda de tangerinas como principal fonte de renda.
Administração Municipal incentiva a compra de mudas frutíferas, com a Campanha de Mudas Frutíferas e, subsidia 50% do valor das mudas para quem montar um pomar comerical. A Epagri oferece a assistência técnica para os agricultores que desejam implantar os pomares comerciais, ministrando cursos profissionalizantes.